Acidentes com fogos de artifício deixam mais de 200 feridos nas Filipinas
01/01/2018 - 13h12 em COTIDIANO

© Fournis par RFI

Cerca de 200 pessoas ficaram feridas em acidentes com fogos de artifício durante a festa de Ano Novo nas Filipinas, neste domingo (31), apesar das medidas anunciadas recentemente pelo governo que visam restringir sua utilização.

O país é formado em sua grande maioria por católicos, mas superstições antigas e tradições chinesas influenciam o comportamento dos filipinos. Segundo a tradição, o barulho nas festas de final de ano espanta os maus espíritos, o que explica a quantidade de fogos de artifício, rojões e tiros para o alto nas festas de Reveillon.

O presidente filipino, Rodrigo Duterte, assinou um decreto em junho estipulando que os rojões só poderiam ser utilizados em locais reservados pelas autoridades locais e sob a supervisão de pessoas treinadas.

Forte queda

De acordo com o ministro da Saúde Francisco Duque, em 2018 houve uma baixa de 77% em relação ao número de feridos em 2017. “Estamos felizes com essa queda, mas nosso objetivo final é abolir totalmente os fogos”. Na virada de 2016, os incidentes deixaram 2 mortos e mais de 300 feridos. Muitos hospitais receberam pessoas com membros amputados.

O ministro explicou que a maioria dos acidentes aconteceu nas ruas da capital, Manila, principalmente com bombas artesanais ilegais do tamanho de um fósforo.

COMENTÁRIOS
PUBLICIDADE